Desemprego cresce à custa das mulheres e dos mais qualificados

No 4º trimestre de 2010 a população desempregada aumentou 9,9% face a 2009, enquanto o desemprego entre as mulheres teve um crescimento de 14%.
Taxa atingiu o recorde de 11,1% no 4º trimestre de 2010

Para mais informação ler a notícia do jornal Público.

http://economia.publico.pt/Noticia/desemprego-cresce-a-custa-das-mulheres-e-dos-mais-qualificados_1480606

Esta entrada foi publicada em Contacto com as etiquetas , . ligação permanente.

4 respostas a Desemprego cresce à custa das mulheres e dos mais qualificados

  1. Pingback: comentário à forma de cálculo do desemprego em Portugal (INE) | Hugo Ferreira

  2. CC diz:

    Bom…lá voltam as mulheres a ter as ‘culpas’…sei que somos mais nesta pseudo-província Espanhoela….e que também somos despedidas (independentemente da LEX) quando a entidade patronal descobre que afinal até podemos ter filhos….desculpem-me os Homens…mas queria ver apenas Mulheres na política com M grande…não daqueles pequeninos como o de uma Ministra que já foi sindicalista e que agora é o Diabo!!!

  3. rui silva diz:

    boas.
    depois de confirmar os dados do INE da para perceber como o INE (AKA governo) adultera as formulas para que nao se mostre o desemprego real em portugal.
    os 11% sao uma falsidade. contas por baixo, da um desemprego real à volta de 20%.
    dantes, a populaçao activa era considerada toda a gente em idade de trabalho, e agora a populaçao activa so e considerada (por legislaçao passada por este governo) a populaçao que esta empregada mais a populaçao desempregada registada. ora, com isto, todas as pessoas que sao retiradas das listas dos centros de empregos, estudantes que acabaram o curso, pessoas que procuram emprego fora do circuito dos centros de emprego, nao contam para populaçao activa.
    nos dados do INE é assim que as contas do desemprego batem os 11% mas se nos dermos a um pouco de trabalho, da para ver que os numeros reais da populaçao activa sao à volta de 7.1M de pessoas (e nao os 5.56M referidos nas contas do governo). se destas retirarmos reformados antes dos 65 anos e deficientes que nao trabalham e retirarmos um numero aproximado de pessoas entre os 15 e 18 anos (o INE providencialmente, para o governo, junta uma faixa etaria de 15-24 anos, por mais ridiculo que isso seja) temos a volta de 6.5M de populaçao activa. se compararmos com os 4.97M de empregados, temos 1.5M de desempregados, e nao os 650 mil que o governo diz. sendo 1.5M, 1/5 de 6.5M, temos à volta de 20% de desemprego real em portugal. obviamente estas contas nao interessam ao governo serem conhecidas.

    • Lúcia diz:

      Obrigada pelo esclarecimento; tinha noção da existência dessas “trafulhices” mas não sabia exactamente como funcionavam.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s